terça-feira, 10 de outubro de 2017

Crianças brincando

"E as ruas da cidade se encherão de meninas e meninos que nelas brincarão." Zacarias 8:5

Nesta semana da criança, viajamos no domingo até uma cidade próxima para visitar quatro netinhos. Tenho ainda mais três netos, um deles já um jovem universitário, que mora conosco. Nada como as crianças para alegrar a casa. 
E o profeta aqui se refere a crianças alegrando a cidade. 
Jerusalém ficou deserta quando seu povo foi exilado, depois da invasão inimiga. Havia, porém, como prediz o profeta, a esperança nas promessas de Deus de que a terra novamente seria povoada com a volta do exílio e de que a cidade novamente se alegraria. 
As crianças se alegram quando vivem bem em família, então a casa se alegra e as brincadeiras felizes são o reflexo da felicidade familiar.
Queremos crianças felizes, vivendo em lares felizes, brincando alegres pelos jardins, pelos parques.
Que nossas famílias sejam o cenário para muitos sorrisos e brincadeiras infantis.





sábado, 7 de outubro de 2017

Lendo a mensagem de Deus

"Dar-lhes-ei um só coração, espírito novo porei dentro deles; tirarei da sua carne o coração de pedra e lhes darei coração de carne; para que andem nos meus estatutos, e guardem os meus juízos, e os executem; eles serão o meu povo, e eu serei o seu Deus." Ezequiel 11:19 e 20
 
Ouvi hoje uma ênfase do orador sobre a necessidade de ler pessoalmente a Palavra de Deus. 
Muitas pessoas leem versículos esparsos que as pessoas postam na internet ou poemas que são interpretações pessoais da Bíblia. 
A Palavra, entretanto, fala conosco leitores de uma forma mais completa, verdadeira e pessoal quando nós mesmos pesquisamos e refletimos diretamente a partir da leitura da Bíblia.
Estamos lendo o livro de Ezequiel, que fala de advertências a Jerusalém nos seus últimos dias antes do exílio. Em cada capítulo há advertências pesadas, mas há também sinais do amor e do perdão de Deus. 
Se apenas lermos as postagens que eu ou outra pessoa colocamos na internet, corremos o perigo de não absorver por completo a mensagem de Deus.
O versículo acima faz parte do capítulo 11 e nos remete à imagem dos remidos junto de seu Deus vivendo o reino dos céus, na presença do Senhor em perfeita paz e justiça. É necessário ler o capítulo todo para ler as advertências pesadas contra a desobediência a Deus, a violência contra o próximo, e contra a idolatria, que é a adoração destinada a pessoa ou objeto que não a Deus, ou à valorização exagerada de algo acima de Deus. 
O mesmo acontece no capítulo 16, que fala de uma aliança eterna com o povo de Deus, mas adverte severamente contra o desvio dos caminhos de Deus, comparando à adúltera ou meretriz o povo que se afasta da obediência. Ou ainda teremos uma ideia errônea se lermos apenas o texto que descreve o plantio e nascimento miraculoso de uma árvore com muitos ramos e frutos, um cedro excelente, cuja sombra conforta animais e aves, significando o que Deus faz ao justo, no capítulo 17, e esquecermos o restante do capitulo que menciona a árvore que será retirada de sua terra e secará, representando o povo desobediente de Israel.
Portanto, vamos ler pessoalmente a Palavra e então estudar o contexto geral dos livros, dos capítulos e dos versículos e absorver o que Deus diz a cada um de nós. Sim, Deus conversa conosco quando lemos a Bíblia. Ele tem advertências e lindas promessas para nós. Somente lendo atentamente a Palavra a cada dia vamos compreender esta verdade. 

 

sábado, 30 de setembro de 2017

Adoração

"Descalça as sandálias dos pés, porque o lugar em que estás é santo." Josué 5:15

A congregação leu em pé ao início do sermão, à solicitação do pastor, os versos 13 a 15 do capítulo 5 de Josué; ali se narra o episódio em que Josué, líder do povo de Israel, na época da conquista de Canaã, vê a aproximação de um homem com uma espada na mão. Perguntando-lhe quem seria, a resposta foi "Sou príncipe do exército do Senhor." Josué, então, reconhecendo Cristo, adorou.
O sermão ressaltou inicialmente a pergunta de Josué: "És tu dos nossos ou dos nossos adversários?" A resposta divina foi: "Não; sou príncipe do exército do Senhor (...)"
É interessante conhecer que nosso Deus está acima dos exércitos humanos. Ele está a nosso lado e é nosso Senhor.  Devemos confiar nEle como o Deus que está acima de nós e acima do inimigo, acima do mal. Ele é o comandante supremo do universo, grande Criador, no comando de miríades de anjos que pode enviar em nosso favor. Se nossos olhos fossem abertos, como aconteceu com Geazi, o servo do profeta Eliseu, poderíamos ver estas hostes celestiais a nosso lado. Por isso, podemos estar tranquilos e confiar ao Senhor nossa vida.
Por isso, O adoramos como nosso grande Deus, Senhor e Criador! Ele pode dirigir milagres em nossa vida!

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Forte vento

"Fez soprar no céu o vento do Oriente e pelo seu poder conduziu o vento do Sul." Salmos 78:26

No Salmo 78, o autor, Asafe, mostra poeticamente a história do povo de Israel e como Deus os guiou para torná-los uma nação. Nessa jornada, Deus utilizou os elementos de forma prodigiosa para levá-los em segurança, abrindo o mar e segurando as águas, usando uma nuvem luminosa à noite e uma nuvem de sombra durante o dia, para defendê-los do sol do deserto, fazendo brotar água da rocha. Num determinado momento, o vento trouxe aves para o alimento.
Achei esse versículo ao procurar um que lembrasse a condução dos elementos pelo Senhor. Neste fim de semana, o furacão Irma, que já  destruíra várias cidades, dirigiu-se à Flórida e as estradas se encheram de pessoas saindo de seus lares para proteger-se em outra região.
Li agora de manhã que muitas famílias abrigaram em suas casas pessoas que não conheciam e que estavam fugindo do furacão. Um dos anfitriões declarou ao repórter que eram cristãos e que sentiram que deviam acolher alguém necessitado. Por certo foi o Espírito de Deus que inspirou essas pessoas a agirem para amenizar a situação de perigo e desabrigo. 
O Espírito Santo muitas vezes é mencionado como um vento ou sopro. Neste caso, o sopro do Espírito trouxe o amor de Deus, mostrando que Ele está entre nós e no coração de seu povo:
"Ora, a esperança não confunde, porque o amor de Deus é derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado." Romanos 5:5

domingo, 3 de setembro de 2017

Flores

"As flores aparecem nos campos. É tempo de cantar; ouve-se nos campos o canto das rolinhas." Cânticos 2:12

Chegando o mês da chegada da primavera, não há como não lembrarmos das flores.
Recebi ontem algumas imagens de flores do jardim da casa da família em Porto Alegre, onde morava minha mãe e agora mora minha irmã, e também admirei flores por perto do prédio em que moro em Brasília.
No versículo, encontrado em Cântico dos Cânticos, o autor e poeta Salomão, inspirado por Deus, fala de amor e convida sua amada a vir encontrar-se com ele.
O cenário que ele descreve é maravilhoso, com frutas amadurecendo, videiras florescendo, pássaros cantando.
Toda a natureza é prova da grandeza do Criador. Ela fala também do Seu amor,  ao preparar um lindo lugar para morarmos aqui. Embora a terra seja destruída e prejudicada por alguns agentes, ainda há locais lindos para serem admirados, que lembram mesmo a beleza do primeiro jardim - o Éden.
Esse mesmo amor de Deus nos promete um dia restaurar na terra o jardim original e aqui habitar conosco. Ele também nos convida com amor a estar com Ele hoje e na terra restaurada. 
Vamos reservar tempo para ouvi-lo através de Sua Palavra e através da natureza que criou. Cantemos também louvores! É tempo de cantar!

sábado, 26 de agosto de 2017

O campo da promessa

"Eis que Hananel, filho de teu tio Salum, virá a ti, dizendo: Compra o meu campo que está em Anatote (...)" Jeremias 32:7

Jeremias foi um profeta de Deus, da tribo de Benjamim, filho do sacerdote Hilquias, e viveu em tempos atribulados. Naqueles dias, o povo de Judá e também seus irmãos de Israel, ao norte, estavam sendo levados em cativeiro para Babilônia. A cidade de Jerusalém já estava sendo atacada. Jeremias trouxera a mensagem de Deus mencionando que este era um juízo contra o povo que estava desobedecendo a Deus, entregue à idolatria e cometendo outros pecados contra seus irmãos. O rei, contra quem também o profeta profetizara, mandou prender Jeremias justamente porque ele profetizava em nome de Deus com essa advertência. 
Deus então disse ao profeta que um parente iria propor negócio num campo na região chamada Anatote. Realmente esse primo apareceu e propôs a venda do terreno. Como havia sido profetizada essa oferta, Jeremias comprou o campo e Deus fez uma promessa: "ainda se comprarão casas, campos e vinhas nesta terra." As probabilidades eram contra a realidade dessa promessa mas Jeremias acreditou e comprou o campo. 
Passado o tempo de setenta anos previsto para o povo ficar em cativeiro fora de sua terra, voltaram alguns judeus e reedificaram Jerusalém e seu templo. 
Procurei na Bíblia o que havia acontecido com o campo. Há um registro no livro histórico de Neemias. A Bíblia menciona as pessoas da tribo de Benjamim que retornaram. Dos sacerdotes, veio um  Seraías, filho de Hilquias, junto com muitos outros. Não sei se era irmão de Jeremias, mas com certeza era de sua tribo e de sua família. Após a reconstrução, a tribo de Benjamim estabeleceu-se em diversas aldeias rurais, inclusive Anatote. Esses registros estão em Neemias 11:11 e 11:31,32. Provavelmente o campo voltou a ser cultivado pela família de Jeremias.
As promessas de Deus são reais e o Senhor pode restabelecer,  sarar o seu povo e também pode nos restaurar.
Procuremos, através da oração e da leitura de sua Palavra, este Deus de promessas se  invoquemos o Seu poder em nossa vida.

domingo, 13 de agosto de 2017

A instrução do pai


"O filho sábio ouve a instrução do pai (...)" Provérbios 13:1

Estamos hoje na data em que se comemora o Dia dos Pais. A data é importante, não obstante o uso comercial que é feito dessas comemorações, porque é um dia ligado à instituição família.
O pai é lembrado muitas vezes como aquele que provê o sustento para sua família, enquanto a mãe fica com os filhos, mas o versículo acima lembra que o pai deve dar instruções aos filhos. 
A instrução do pai pode ser pela palavra ou pelo modo de conviver com os filhos, pelo exemplo. Lembro de meu pai como um homem trabalhador, que não falava muito, era bem severo quanto à educação dos filhos e zeloso quanto a seus princípios religiosos. Mais tarde gostava de ver os netos e continuava trabalhando em casa, mesmo depois de fechar a oficina de alfaiate. 
Esse exemplo de meu pai, observo hoje, continua vivendo, quando acho natural para mim continuar trabalhando após os sessenta  anos,  gosto de conviver com meus netos, que vivem mais próximos de mim do que meus filhos viviam do avô e aprecio participar de uma comunidade religiosa.  Quanto à educação dos filhos, hoje sou mais flexível que meu pai, mas creio primordiais os conselhos na formação dos jovens. Simplesmente há coisas que eles não veem ainda claramente e sobre as quais precisamos alertá-los. Por exemplo, meu neto e seus amigos se perderam no caminho para um acampamento da igreja ,quando bastava seguir reto numa estrada. Seria mais fácil ter perguntado para o pai o caminho antes de partirem de carro e ligarem o aplicativo.
Todos nós, na realidade, precisamos de instruções. Nosso Pai Celestial quer falar conosco e levar-nos a uma vida feliz. Ouçamos a instrução do Pai através de Sua Palavra.